domingo, 20 de julho de 2014

Berinjelas: protegem nosso organismo de doenças cardiovasculares, câncer, diabetes, infecções virais e obesidade, devido a sua ação antioxidante, que protege o DNA das células e evita inflamações.

A beringela ou berinjela é o fruto da planta Solanum melongena, uma solanaceae arbustiva, anual, originária da Índia, considerada de fácil cultivo nos trópicos, e que pertence à mesma família do pimentão. É sensível ao frio, às geadas e ao excesso de chuva na altura da floração. A época de plantio, no hemisfério norte, é de Setembro a Fevereiro e, em regiões de clima quente, o ano todo.
"Berinjela" é oriundo do termo persa badnjan, através do termo árabe badinjanâ.
Segundo alguns historiadores, seu cultivo começou como planta ornamental, na Índia, há cerca de 4 000 anos, tendo chegado à Europa no século XIII através dos árabes da Península Ibérica, que eram e são grandes apreciadores desse fruto.
A berinjela é composta por agentes antioxidantes e vitaminas, prevenindo contra doenças, inflamações e também envelhecimento. Mas a maior vantagem é a concentração alta das fibras, pela casca e na água desse fruto.
Pela casca da berinjela, a concentração das fibras solúveis é alta, às quais o organismo não é capaz de absorver. Essas fibras agem como um tipo de esponja pelo estômago, absorvendo a bile e gordura, com eliminação pela evacuação. Ainda auxiliam a formação do bolo fecal, favorecendo o intestino.
Dentre os benefícios da berinjela crua está o emagrecimento, diminuição do nível da glicemia e colesterol pelo sangue, e da gordura abdominal. Ainda há redução da fome, e do inchaço pelo efeito diurético, melhoramentos no intestino, metabolismo acelerado e prevenção contra as inflamações e as doenças.
E além de ser usado in natura em saladas ou inteiro em preparações, como camada de lasanhas, por exemplo, ele ainda pode ser apresentado no formato de suco, chá e farinha. Mas entre esses derivados, acredita-se que a farinha da berinjela seja a que mais mantenha suas propriedades originais. Tanto que alguns estudos indicam que a ingestão regular da farinha seja mais eficaz no emagrecimento e diminuição dos níveis de gorduras sanguíneas, como o colesterol e os triglicerídeos.
O suco e a água da berinjela tem grandes influências na perda de peso, e ainda ajudam a diminuir o colesterol. As bebidas são ricas em fibras e vitaminas, auxiliando no emagrecimento. Aprenda a preparar as bebidas aliadas de todas as dietas e de quebra confira uma super dica de receitas com esse poderoso alimento!
Acredita-se que a farinha de berinjela contenha os nutrientes em que o vegetal é rico, como vitamina B3 (niacina) e vitamina C, por exemplo. Porém isso ainda não foi estudado e estabelecido.
A maior vantagem da farinha de berinjela está na sua alta composição de fibras. Para se ter uma ideia, são indicadas 55 gramas de fibras ao dia em uma dieta de 2 mil calorias diárias. A farinha de berinjela apresenta 6,8 gramas em uma porção de uma colher de sopa (15 g), ou seja, equivale a 27% desse valor.
Benefícios da farinha de berinjela
Ajuda a emagrecer Uma pesquisa feita na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) colocou um grupo de mulheres obesas em um programa de reeducação alimentar. Porém, enquanto metade consumia 14 gramas de farinha de berinjela por dia, a outra simplesmente não consumia o vegetal. Após 60 dias, o primeiro grupo perdeu em média 60 quilos, enquanto o segundo perdeu apenas 30 kg. Existem três propriedades da farinha de berinjela que explicam essa potencialização na perda de gordura e peso:
1. Aumenta a saciedade: As fibras são velhas conhecidas de quem se interessa pela perda de peso, e estão em alta concentração na farinha de berinjela. A vantagem é que quando as consumimos com a quantidade adequada de água, elas se transformam em um gel em nosso estômago, tornando a digestão mais lenta e aumentando a distensão da parede do órgão, dois mecanismos que informam ao nosso corpo que estamos satisfeitos. Com isso, nos alimentamos menos e consequentemente ingerimos menos calorias do que antes, provocando o emagrecimento.
2. Reduz a gordura corporal: Esse gel formado no bolo alimentar faz com que a glicose dos alimentos ingerido junto com a farinha seja liberada lentamente na corrente sanguínea. O hormônio responsável por colocar esse nutriente para dentro das células é a insulina, mas ele também é culpado pelo acúmulo de gordura no corpo quando circula em altas quantidades no nosso organismo. Se a insulina for liberada lentamente, acumulamos menos gordura no tecido adiposo, o que também resulta em menor ganho de peso.
3. Controla a compulsão por doces: Ao evitar o pico glicêmico, previne-se também a queda brusca de glicose no nosso sangue. O problema dessa baixa é que o corpo sente uma necessidade em repor esse nutriente rapidamente, e o melhor meio para isso é o consumo de carboidratos simples como o açúcar e o trigo. Além disso, a insulina em excesso torna o triptofano mais facilmente absorvido pelo cérebro, causando maior sensação de bem-estar por ser precursor da serotonina. Porém, quando a dose está muito alta, o corpo começa a "pedir" por mais fontes desse aminoácido, como o chocolate - que não é um vilão, desde que consumido na versão meio amarga e em baixas quantidades. De qualquer forma, o resultado é o mesmo: maior produção de insulina, aumento do acúmulo de gordura no tecido adiposo e, por consequência, quilos a mais.
Ajuda os diabéticos Quanto mais produzimos insulina, mais resistentes alguns órgãos do nosso corpo ficam a sua ação, ou seja, é preciso cada vez maiores quantidades do hormônio para colocar para dentro das células a mesma quantidade de glicose. Isso gera um quadro chamado de resistência a insulina. Com o tempo, se nada for feito para corrigir isso, ou seja, se o individuo continuar tendo picos glicêmicos, o problema evoluirá para o diabetes tipo 2. Por isso que a inclusão de alimentos ricos em fibras, como a farinha de berinjela, é importante, já que elas aumentarão os intervalos de envio da glicose para o nosso sangue, como já explicado.
Reduz as gorduras no sangue No estudo realizado pela UFRJ, além de maior emagrecimento nas mulheres que consumiam a farinha de berinjela, foi verificada uma redução da gordura no sangue, como o colesterol total, colesterol LDL e triglicérides. Isso pode ser explicado através de alguns mecanismos. O primeiro é que, assim como a absorção da glicose é retardada pelo gel formado pelas fibras, o colesterol também é enviado em quantidades menores para o nosso sangue, reduzindo as quantidades totais desse nutriente. Além disso, acredita-se que as fibras específicas da berinjela atuem nos sais biliares, essenciais para a absorção do colesterol. Por fim, a presença de vitamina B3 (niacina) aumenta o transporte reverso do colesterol, realizado pelo HDL (colesterol bom), ou seja, pode aumentar em até 30% esta taxa.
Melhora o funcionamento do intestino O mesmo gel formado pelas fibras também ajuda o bolo alimentar a transitar melhor, aprimorando o transito intestinal. Além disso, elas têm uma função prebiótica: as fibras sofrem fermentação completa ou parcial no intestino grosso, que é realizada por bactérias benignas, o que estimula o crescimento da microbiota (flora intestinal) e incentiva uma atividade intestinal saudável.
Aumenta a imunidade Ao estimular as bactérias amigas do intestino, as defesas do nosso corpo também são reforçadas, já que 60% das nossas imunoglobinas estão nele. Além disso os ácidos graxos de cadeia curta resultantes da digestão das fibras impedem com que bactérias ruins do intestino se transportem para a corrente sanguínea, evitando que elas infectem o corpo todo.
É rica em antioxidantes A casca da berinjela deve sua coloração arroxeada aos flavonoides chamados de antocianinas. Elas protegem nosso organismo de doenças cardiovasculares, câncer, diabetes, infecções virais e obesidade, devido a sua ação antioxidante, que protege o DNA das células e evita inflamações. Ao que tudo indica e alguns estudos comprovam, quando a farinha de berinjela é feita com a casca, ela preserva esses nutrientes, colaborando dessa forma para a nossa saúde.
A farinha de berinjela pode ser encontrada em supermercados, lojas de produtos naturais ou mesmo comprada em lojas virtuais. Porém, sempre compre de marcas e locais de confiança.
Caso opte por fazê-la: em uma forma, coloque 1 quilo de berinjela com casca cortada em fatias. Leve ao forno a uma temperatura de 200 ºC por cerca de 2 horas, ou até ficar crocante. Em seguida, triture essa berinjela desidratada no processador ou no liquidificador, até obter um pó. Ele deve ficar com aparência parecida com a da farinha de mandioca e rende 100 gramas. Depois é preciso guarda-la em um pote bem vendado e em local arejado e fora da luz, como a geladeira.

Psyllium: regulariza o intestino, ajuda no controle da glicemia, dos níveis de colesterol e até do peso.


Estudos clínicos mostram que doses diárias de 7 gramas de fibra solúvel de Psyllium Husk podem ajudar a reduzir o risco de doenças cardíacas por auxiliar na diminuição do colesterol, junto com uma alimentação balanceada e hábitos de vida saudáveis.

Psyllium Husk, também conhecido como ispaghula e isapgol, é derivada da semente da planta platango ovata, uma erva anual, nativa da Ásia, do Mediterrâneo e do norte da África.

Amplamente cultivado na Índia e no Paquistão, cresce em solos arenosos e lamacentos. Os Estados Unidos são seu maior importador mundial e frequentemente usam o Psyllium Husk como laxante baseado em fibras, alimentos ou em vários complementos de fibras.

Na verdade, o psyllium é uma fonte de fibras solúveis e insolúveis, que aumenta o volume das fezes. As fibras formadoras de volume aumentam a motilidade intestinal, devido às suas propriedades de retenção de água. A movimentação do intestino é estimulada e o tempo que as fezes ficam no organismo é diminuído.

O consumo de fibras é fundamental para normalizar as funções gastrointestinais e prevenir constipação, além de ser um poderoso aliado no combate a doenças cardiovasculares, no controle da glicemia, dos níveis de colesterol e até do peso, pois, como é próprio das fibras, ele aumenta a sensação de saciedade.

O psyllium pode ser utilizado em receitas ou como suplemento de fibra, se a alimentação não estiver sendo capaz de suprir toda a quantidade de fibras necessárias. O psyllium deve obrigatoriamente ser tomado com água, e é necessário aumentar a ingestão de líquidos durante todo o dia para não causar constipação intestinal, devido às propriedades de retenção de água deste ingrediente. Seu uso como suplemento de fibras deve ser devidamente orientado por um nutricionista ou médico, para não interferir na absorção dos nutrientes e de medicamentos em uso.

Outra vantagem desta semente é que ela confere elasticidade e maciez às receitas, sobretudo de pães, bolos e biscoitos, aproximando-as da textura das massas feitas com farinha de trigo. Quando tentamos substituir farinhas contendo glúten por outras isentas desta proteína, como a farinha de arroz, de milho ou polvilho, as receitas tendem a ficar mais ressecadas. Então, o psyllium pode ser utilizado como uma espécie de substituto do glúten nesse aspecto, para deixar as preparações mais macias.

Hoje, não é muito difícil encontrar este ingrediente no Brasil em lojas de produtos naturais e de suplementos, ou até mesmo em farmácias de manipulação.

Fontes:  http://mentorfoods.com.br/noticias/psyllium-a-fibra-que-faz-bem-e-incrementa-suas-receitas/

http://metamucil.com.br/o-que-e-psyllium.php

Agar-agar: uma excelente alga que deve ser adicionada em nossa alimentação


O ágar-ágar, também conhecido como ágar ou agarose, é um hidrocolóide extraído de diversos gêneros e espécies de algas marinhas vermelhas que consiste em uma mistura heterogênea de dois polissacarídeos, agarose e agaropectina. Essas substâncias ocorrem como carboidrato estrutural na parede das células. Tais algas que contém o ágar-ágar são denominadas agarófitas e pertencem à classe Rodophyta . O nome deste polímero provém da palavra malaia agar-agar. Os principais gêneros de algas agarófitas são a Gelidium, Gracilaria, Gelidiela e Pterocladia.

O uso da ágar-ágar – conhecida também simplesmente como “ágar” -, é centenário. Especialistas acreditam que o processo de produção dela iniciou-se no Japão por volta de 1650. Até hoje, a gelatina extraída através do processo de fervura das algas vermelhas (Gelidium sp.) é largamente usada na alimentação oriental e ganha cada vez mais adeptos no mundo todo.

Os benefícios à saúde são muitos. Por conter impressionantes 94,8% de fibras solúveis, o consumo frequente ajuda a regular o funcionamento do intestino. Também por causa das fibras, a ágar proporciona saciedade com pouca quantidade consumida e praticamente não tem calorias, o que certamente ajuda muito na hora de ficar em paz com a balança.

O ágar-ágar é insolúvel em água fria, porém, expande-se consideravelmente e absorve uma quantidade de água de cerca de vinte vezes o seu próprio peso, formando um gel não-absorvível, não-fermentável e com importante característica de ser atóxico. Possui em sua composição principalmente fibras e também sais minerais (P, Fe, K, Cl, I), celulose, anidrogalactose e uma pequena quantidade de proteínas.

Para a culinária, é um coringa. A ágar é comercializada principalmente em pó e basta uma colher de chá não muito cheia para fazer uma xícara de gelatina saudável. O poder gelidificante da gelatina vegetal é dez vezes maior que o da gelatina convencional. Além disso, a ágar não necessita ir à geladeira para ficar firme e também não derrete em temperatura ambiente, como a outra. Por não alterar o sabor dos alimentos, é perfeita sobremesas e também para pratos salgados, como queijos vegetais e molhos encorpados.

A ágar é a melhor opção na hora de escolher a gelatina que você vai comprar porque o processo de produção dela não é cruel. A gelatina convencional é feita a partir da fervura de ossos, tendões, pele e restos de animais que são mortos nos abatedouros. O mais comum é que sejam restos de bois e de porcos. Já a ágar, é obtida com a fervura de algas marinhas. O resultado é um pó branco idêntico à gelatina de origem animal, só que mais saudável e ético. Por ser de origem vegetal, a ágar oferece risco praticamente zero de contaminação por bactérias que causam doenças graves.

Faça uma xícara do seu suco de fruta favorito. Coloque em uma panela e misture uma colher de chá de ágar. Acenda o fogo e mexa até levantar fervura. Coloque em um recipiente e espere esfriar. Se achar necessário, leve à geladeira por 2 horas.

Você pode variar a receita, com mais ou menos ágar e pode também acrescentar pedaços de frutas.

 

Veja nossa lista de 10 motivos para você escolher a gelatina vegetal

1. Livre de crueldade. Sua produção não envolve a morte de animais.

2. Ajuda a regular o intestino.

3. Ajuda a emagrecer.

4. Não altera o sabor dos alimentos.

5. Tem melhor custo-benefício (rende muito mais).

6. Não derrete à temperatura ambiente.

7. Poder gelificante dez vezes maior.

8. Quase totalmente composta de fibras alimentares (94,8%).

9. Livre de corantes e aditivos químicos.

10. Versátil, serve tanto para doces quanto para salgados.

 
Fontes: http://vista-se.com.br/10-motivos-para-voce-usar-a-gelatina-agar-agar-vegetal-ao-inves-da-convencional-animal/

http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81gar-%C3%A1gar

 

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Mix de sementes de girassol, gergelim, linhaça, quinoa e castanhas



100g de sementes de girassol sem casca
50g de sementes de gergelim
200g de sementes de linhaça
100g de amêndoas
100g de castanha do Brasil (castanha do Pará)
100g de quinoa em flocos
100g de nozes

Modo de preparo:
Triture todos os ingredientes no processador ou no liquidificador. Misture bem e conserve na geladeira. Consuma diariamente 1 colher (sopa) desse mix em sucos, vitaminas, salada de frutas ou a seu gosto.

As sementes de girassol são uma dádiva do lindo girassol, uma planta com raios de pétalas que emanam do seu centro amarelo-vivo, cravado de sementes. O nome científico em latim do girassol, Helianthus annuus, reflecte a sua aparência solar, visto que helios é a palavra grega para sol e anthos é a palavra grega para flor. O girassol produz sementes verde-acizentadas ou pretas, envolvidas em cascas cinzentas ou pretas em forma de lágrima que por vezes têm riscas pretas e brancas. Visto que estas sementes têm um elevado conteúdo de óleo, são uma das principais fontes usadas para produzir óleo poli saturado. As sementes de girassol descascadas têm um suave sabor a noz e uma textura firme mas tenra. Possui alto teor de vitamina B, é rica em gorduras poli-insaturadas (ômegas 3 e 6) e também contém vitaminas E e A. São fontes de cálcio, fósforo, potássio e magnésio.
BENEFÍCIOS
1 - Por ser rica em vitaminas do complexo B, auxilia no bom funcionamento cerebral.
2 - Como é fonte de gordura poli-insaturada, auxilia na redução do mau colesterol (LDL) e protege contra doenças cardiovasculares
3 - A concentração de vitamina E colabora para a ação antioxidante do nosso organismo, auxiliando no combate do envelhecimento precoce.
4 - A vitamina E minimiza os sintomas incômodos do período da menopausa.
5 - Possui concentrações de magnésio que podem auxiliar no processo de relaxamento muscular.
6 - Devido às grandes quantidades de fibras, auxilia no funcionamento intestinal.
7 - É rica em fitoesteróis que pode auxiliar na redução dos níveis sanguíneos de LDL e diminui o risco de câncer.
AJUDA A EMAGRECER
Por ser rica em fibras, a semente de girassol pode auxiliar no emagrecimento devido à sensação de saciedade.


O gergelim é uma das plantas mais antigas cultivadas pelo homem. Seu país de origem é incerto, porém alguns estudos mostram sua localização entre Ásia e a África.
Esta planta é cultivada desde a antiguidade. No Egito, por exemplo, no tempo dos faraós, o gergelim era utilizado para obtenção do óleo, os impérios entre os rios Tigre e Eufrates cultivavam comercialmente o gergelim e os orientais consideravam as sementes quase sagradas.
A semente chegou ao Brasil pelos portugueses no século XVI, daí foi sendo cultivado, tradicionalmente, como “cultura de fundo de quinta”. O grão era consumido em nível de fazendas, e havia raros excedentes para comercialização.
Como característica a planta atinge de 1,5 a 2m de altura. Suas flores são brancas, púrpura ou cor-de-rosa. Os frutos apresentam-se em formas umas cápsulas pubescentes contendo sementes achatadas chegando de 2 a 5 mm de comprimento, com normalmente em cor castanha, branca ou preta. Hoje a ciência já pode nos mostrar vários benefícios que a planta nos traz.
MAS DE QUE FORMA DEVEMOS CONSUMIR O GERGELIM?
A melhor forma de consumir a semente é na forma integral; crua e com casca.
O gergelim umedece e lubrifica os intestinos em função da presença de ácido linol presente na casca de gergelim, aumentando o peristaltismo intestinal, o trânsito do bolo alimentar e ativando a circulação sanguínea na parede intestinal. Também evita e trata a prisão de ventre e hemorróidas.
Para as gestantes que apresentam prisão de ventre, o ideal é tomar suco desintoxicantes com gergelim para tratar este problema.
O QUE CONTÉM NA SEMENTE E QUE BENEFÍCIOS PROPORCIONA?
O gergelim é uma excelente fonte de proteínas, rico em gorduras do bem (gorduras monoinsaturadas) e com grande concentração de fibras. É indicado no controle da glicemia sanguínea (açúcar no sangue). Além disso, o gergelim apresenta grande quantidade de cálcio, ajudando no controle da massa corporal gorda, tanto na lipólise (quebra de gordura), quanto na inibição da lipogênese (armazenamento de tecido adiposo. Apresenta também alto teor de fósforo e ferro e é rico em vitaminas do complexo B.
Alguns benefícios:
Fortalece os tendões e ossos;
Tonifica o fígado e os rins;
Tônico geral, principalmente após hemorragias;
Combate dores lombares e de joelhos, reumatismo;
Evita a queda e o branqueamento precoce dos cabelos;
Melhora a elasticidade da pele e desenvolve forte poder antioxidante nas células.
DE QUE FORMA A SEMENTE CONTRIBUI PARA A PERDA DE PESO?
O gergelim é ideal para quem procura boa forma ou mesmo uma dieta equilibrada, pois ele possui grande quantidade de fibras, o que auxilia no bom funcionamento do intestino.
Ele tem o poder de aumentar a saciedade, pois apresenta uma casca rica em fibras, que leva mais tempo para ser quebrado e digerido pelo organismo, assim acaba estendendo o período de “sentir fome”. Além das proteínas que estão presentes na semente, onde também auxiliam neste processo e ainda previnem a flacidez.
O gergelim em si não é o responsável pelo emagrecimento, mas as fibras insolúveis encontradas nele auxiliam na regulação do trato intestinal e saciedade.
QUAL SERIA A QUANTIDADE ADEQUADA PARA O CONSUMO?
Não há estudos suficientes para ter certeza da quantidade diária exata que devemos ingerir, porém alguns estudos mostram que a ingestão de 30g/dia já nos traz benefícios, como a redução do risco de diabetes e obesidade por exemplo.

A linhaça é a semente do linho (Linum usitatissimum) e é utilizada na culinária. Sua planta é conhecida desde 5 mil a.C., na região da Mesopotâmia. Ela é considerada um alimento funcional, trazendo benefícios para o coração, intestino e até mesmo prevenindo alguns tipos de câncer. Mas o benefício carro-chefe da linhaça é o emagrecimento, pois suas fibras atuam na liberação da glicose no sangue e reduzem, por tabela, o acúmulo de gordura no corpo. E ainda é uma alternativa de cereal sem glúten. Ela é rica em fibras e minerais, a linhaça também é fonte de ácidos graxos ômega-3. Tem efeito anti-inflamatório, regula a pressão arterial e ajuda a regularizar as taxas de colesterol. Segundo um grande estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition, em 2009, ela derruba o LDL, colaborando para evitar as temidas obstruções nas artérias. Também são descritos benefícios adicionais para o sexo feminino: atenua a retenção de líquidos típica do período pré-menstrual.

Várias pesquisas vêm comprovando os benefícios que as oleaginosas podem trazer para a saúde e apontam que uma porção diária dessas frutas garante um coração mais protegido, combate o envelhecimento precoce a até contribui para a perda de peso.
Estudo realizado este ano pela Universidade Loma Linda, nos Estados Unidos, afirma que a ingestão diária de castanhas, nozes e amêndoas pode reduzir o LDL (conhecido como mau colesterol) em até 7,4% e os triglicérides em até 10%. Isso acontece por causa da grande quantidade de gorduras monoinsaturadas presentes nesses alimentos, que “limpam” as moléculas de colesterol das artérias.
As gorduras monoinsaturadas das oleaginosas contribuem para controlar a taxa de açúcar no sangue. E castanhas, nozes e amêndoas também são ricas em gorduras poli-insaturadas, como o ômega 6, que ajudam a manter o nível do HDL (o colesterol bom). As oleaginosas são ricas em proteína, potássio, fósforo, vitaminas do complexo B, vitamina E, gorduras boas (mono e poli-insaturadas) e selênio. Quando aliadas a uma dieta saudável, ajudam no controle da glicemia do sangue, na diminuição do LDL e na manutenção do HDL, além de terem ação antioxidante que combate o envelhecimento celular e contribuir para a perda de peso.


Amplamente consumida na região dos Andes, a quinoa é considerada um pseudo cereal. Isto é, ela possui os mesmos nutrientes que os cereais propriamente ditos, como arroz e trigo, mas suas características de plantio e crescimento são diferentes. A quinoa é um alimento de alto valor biólogo, ou seja, possui todos os aminoácidos essenciais que o nosso corpo precisa para funcionar corretamente. Ela também é fonte de cálcio, ferro e ácidos graxos ômega 3 e 6. Como qualquer cereal, é muito rica em fibras, sendo portanto uma ótima fonte de carboidratos para a alimentação. Além disso, a quinoa possui quantidades importantes de vitaminas do complexo B. Por ser rica em proteínas, a quinoa ajuda no fortalecimento muscular, principalmente para quem pratica atividades físicas. Suas quantidades significativas de ômega 3 e 6 são importantes aliados na prevenção de doenças cardiovasculares e redução do colesterol. Ela também ajuda no fortalecimento dos ossos e prevenção de doenças como osteoporose e hipertensão, devido a suas quantidades de cálcio.
As vitaminas do complexo B presentes na quinoa são parte essencial para o bom funcionamento do sistema nervoso, manutenção muscular e síntese de hormônios. Além disso, as fibras presentes no grão dão a sensação de saciedade, podendo favorecer o emagrecimento. Ela também é rica em zinco, um nutriente que atua no fortalecimento do sistema imunológico e nos processos de cicatrização. Por fim, também é um grão recomendado para pessoas que possuem doença celíaca, já que não contém glúten.




Fontes: http://www.alimentacaosaudavel.org/sementes-girassol.html
http://wp.clicrbs.com.br/barradecereal/2014/02/19/descubra-os-sete-beneficios-da-semente-de-girassol/?topo=13,1,1,,,13
http://www.anutricionista.com/os-beneficios-da-semente-de-gergelim.html
http://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/16792-linhaca-a-semente-aliada-do-coracao-diabetes-e-da-dieta
http://revistavivasaude.uol.com.br/nutricao/beneficios-da-linhaca/371/
http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2012/10/25/nozes-castanhas-e-amendoas-fazem-bem-para-a-saude-e-ajudam-a-emagrecer.htm
http://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/16235-quinoa-a-proteina-em-grao

sábado, 17 de maio de 2014

Inúmeros benefícios do carvão e do sal grosso

Todos nós estamos sujeitos às radiações de inúmeros tipos de energias, tanto positivas quanto  negativas. Elas são oriundas de vários aparelhos elétricos, plantas, animasis, astros como sol, a lua e também as pessoas, enfim tudo emitie energia, pois tudo nada mais é do que energia condensada em forma de matéria em nossa dimensão. 
O importante é que independemente da origem, todos somos sujeitos a bons e maus fluídos.
Segue abaixo uma lista de algumas orientações para nos ajudar na proteção dos maus fluídos - afinal é o que predomina por aqui:
  • Seja mais cuidado com o que diz: evite reclamar, amaldiçoar, fazer fofocas.
  • Seja mais seletivo ao escolher seus amigos. 
  •  Use com moderação seus aparelhos eletrônicos, tais como celulares, televisores, computadores, etc. pois todos amplificam energias negativas.
  • Coloque um Ba guá de proteção (Use ba guá que já vem com espelho). Coloque do lado de fora da casa, na porta de entrada. Pendure na altura de 1.8m.
  • Use gráficos de radiestesia em toda a casa - nesse caso consulte um bom profissional ou estude bastante antes de fazer uso deles
  •  Animais de proteção: coloque próximo a porta de entrada. Leão, dragão, águia, serpente, galo português, etc
  • Outros simbolos de proteção: olho grego, olhos isis, mão judaica (chamsa), om, pentagramas, mandalas, sol, estrelas, carrancas, guerreiros, figas, espadas, máscaras, medalha de São Bento...
  • Cristais, quarzto branco, onix, turmalina negra, hematita.
  • Ore regularmente e leia os Salmos - 10, 43, 46, 91 e 96 em casa.
  • Enfeite sua casa e ambiente de trabalho com plantas e flores naturais. Se Deus as fez, não é por acaso!
  • Use flores vermelhas ou amarelas próximas da entrada de casa.
  • Use e abuse dos vasinhos de pimentinhas vermelhas, vasos de sete-ervas, arruda, quiné, espada de São Jorge, alegrim, comingo ninguém-pode e mangericão.
  • Água com sal grosso: coloque atrás da porta de entrada e troque semanalmente. SAL GROSSO: O sal grosso, quimicamente falando é NaCl, ou seja, a união do Cl (cloro) com o Na (sódio). No átomo de cloro temos um ânion (-) ou a partícula negativa. No átomo de sódio temos o cátion (+) ou a partícula positiva. Portanto, o positivo se liga ao negativo para formar uma molécula em equilíbrio.
    Vemos essa visão na espiritualidade e nas filosofias orientais como o Taoísmo, por exemplo, onde o Tao que é o todo, o inefável, a presença maior, emana para o planeta Terra o Chi. O Chi da visão oriental tem seus correspondentes ocidentais conhecidos como magnetismo, fluído vital ou energia vital simplesmente. Ao longo da história da humanidade e em diversos povos, também recebeu nomes como quinta essência, mana, prana, entre outros. E o que isso tem haver com as propriedades do sal grosso?  Quando o sal entra em contato com a água, os átomos de Na(+) e Cl(-) tendem a se separar para reagir com a água (H20). Nesse processo, naturalmente encontramos também a possibilidade de partículas negativas do ambiente, pessoa ou objeto, serem atraídas magneticamente para a parte do Na+ (sódio), ao passo que partículas carregadas positivamente serão atraídas para a parte do Cl - (cloro). Engana-se quem pensa que energia positiva em excesso é algo bom, pois o correto e harmônico é o equilíbrio, e por isso, o sal além de absorver a negatividade em excesso, também absorve a parte positiva que estiver em desequilíbrio.
    Colocar um copo com água + sal grosso nos principais ambientes de uma casa, promoverá o ajuste da energia desses locais, entretanto, é bom que se saiba que este copo precisa ser trocado. Troca-se o copo com água e sal grosso sempre que este começar apresentar formação de uma casca de sal em sua borda. Nesse momento, joga-se o conteúdo do copo em esgoto normal, lava-se bem o copo e repete-se o processo. Mantenha os copos com água e sal grosso nos ambientes que quer harmonizar e você promoverá o efeito filtro de ambiente, o que nos ajuda muito na rotina diária, para mantermos a qualidade da energia de nossos lares. Use preferencialmente copos de vidro transparente, sempre preenchendo com água mineral ¾ do volume, ou seja, deixe o copo com uma margem vazia. Em um copo de 300 mL use de duas a três colheres de sal.
  • Metais, arranjos de pimenta, alho e sal grosso: retém energia negativa.
  • Carvão - nosso maior enfoque nessa pesquisa: filtra os ambientes das energias negativas. Coloque um pedaço de carvão dentro de um copo d'água atrás da porta de entrada e troque semanalmente.
  • o carvão é um poderoso agente de absorção de elementos nocivos , sejam energéticos ou físicos. A água é um elemento bom condutor que ajuda a dispersar e absorver as energias negativas, portanto, esta é uma combinação excelente nesses casos.
  • Espalhe pela casa pratinhos descartáveis com um pedaço generoso de carvão e 4 colheres (de sopa) de sal grosso da seguinte forma: 1 PRATINHO COM UM PEDAÇO DE SAL GROSSO E 4 COLHERES (SOPA) DE SALGROSSO EM CADA CANTA DE CADA CÕMODO DA CASA. RETIRE APÓS 7 DIAS E JOGUE EM ÁGUA CORRENTE. RESERVANDO OS PRATINHOS PARA NOVA LIMPESA ENERGÉTICA. FAÇA NOVAMENTE E RETIRE APÓS 14 DIAS. REPITA A OPRALÇAO E RETIRA APÓS UM MÊS. LEMBRE-SE DE COLOCAR UM PRATINHO EMBAIXO DE SUA CAMA TAMBÉM!
  •  
    O carvão vegetal é uma substância porosa, capaz de captar e de fixar as substâncias estranhas ou tóxicas que estão no ar, na água, nos alimentos, em nosso corpo ou sobre a pele. O carvão adsorve com eficácia os entorpecentes aditivos alimentares, agrotóxicos e adubos químicos, os metais pesados, os gases e os detergentes. Todas essas substâncias estranhas que invadem o nosso organismo, sobrecarregando e danificando os rins e o fígado, podem ser adsorvidas pelo carvão e excretadas. Adsorve também as bactérias (como salmonelas e estafilococos), vírus (como o da febre aftosa), as toxinas produzidas pelos bacilos da difteria, do tétano, do botulismo e da gangrena, os tóxicos e ácidos provenientes da decomposição dos alimentos. O carvão vegetal ativado adsorve as substancias tóxicas, impedindo ou limitando sua absorção no aparelho digestivo. Impede fisicamente a intoxicação, captando as substancias tóxicas que estão no intestino.
    Dica: Deixe legumes e verduras imersos por 3 horas junto com pedaços de carvão, para eliminar toxinas e agrotóxicos.

    Adsorção: Processo pelo qual moléculas de um fluido são atraídos ou retidos numa superfície sólida.
     
     

    Erva de Santa Maria - Chenopodium ambrosioides

     
     
     
    Ela é também conhecida como ambrosina, ambrisina, ambrósia, ambrósia-do-méxico, anserina-vermífuga, anserina-vermes, apazote, canudo, caacica, canudo, chá-da-espanha, chá-do-méxico, chá-dos-jesuítas, cravinho-do-campo, cravinho-do-mato, erva-mata-pulgas, erva-das-cobra, erva-das-cobras, erva-formigueira, erva-vomiqueira, erva-vomiquiera, erva-das-lombrigas, erva-ambrósia, erva-das-lombrigas, erva-de-bicho, erva-embrósia, erva-mata-pulga, erva-mata-pulgas, erva-pomba-rota, erva-do-méxico, erva-formiga, erva-formigueira, erva-lombrigueira, erva-pomba-rola, erva-santa, erva-vomigueira, erva-santa, lombrigueira, mastruço, mastruz, matruço, mata-cabra, mata-cobra, matruz, menstruço, mentrasto, mentraz, mentrei, mentrusto, mentruz, menstruz, pacote, quenopódio, trevo-de-santa-luzia, uzaidela. 
     
    E usada pela população Indigena e na medicina popular do Brasil, Belize, Equador, Haiti, México, Panamá, Peru, Trinidad-Tobago, Venezuela, EE.UU,  Turquia e China há centenas de anos; O óleo de Chenopodiurn. que já fez parte da Farmacopéia dos EE.UU, teve longa tradição como vermífugo - hoje abandonada devido à sua toxidade. As folhas continuam a ser usadas mundialmente como vermífugo e inseticida; Há relatos de seu uso como bracelete aromático em algumas tribos e como erva aromática carminativa - embora a maioria das pessoas a considere "fedorenta" Em alguns sistemas herbalistas tradicionais - do Brasil e outros países sul-americanos o Chenopodium é usado para afecções respiratórias, desordens menstruais, contusões e reumatismo
     
    Modo de conservar : As folhas e as sumidades florais devem ser secas à sombra, em local ventilado e sem umidade. Guardar em sacos de papel ou de pano.
    Plantio : Multiplicação: por sementes ou estacas (ramos); Cultivo: planta mexicana que se adapta a todos os climas do Brasil. Não exige solos, mas responde a adubação orgânica e a irrigação. Planta-se o ano todo em espaçamento de 30cm por 80cm. Colheita: colhem-se as folhas e flores no início da floração para uso medicinal ou como inseticidas, para controle de pragas das outras plantas, em pulverizações semanais, assim como a solução feita com folhas de fumo.
    Princípios Ativos: Óleos essenciais, contendo ascaridol (principalmente nas sementes), anetol (éster fenólico), safrole, N-docosano, N-hentriacontano, N-heptacosano, N-octacosano, b-pineno, methadieno, dimetilsulfóxido, d-terpineol, aritasona, salicilato de metila, cânfora, ambrosídeo, betaína, kaempferol rhamnosídeo, santonina, chenopodium saponina A, chenopodosídeos A e B, cineol, p-cimeno, 3-0-glicosídeo de quercitina, iso-hametina, pinocarvona, quenopodina, histamina, limoneno, glicol, ácidos butírico e salicílico, ácidos orgânicos, taninos, terpenos, carveno, p-cimol, linomeno, pectina, sais minerais.
    Propriedades medicinais: Abortiva, antiinflamatória, anti-helmíntica, antitumoral antiviral, antiasmática, antiespasmódica, antipalúdica, aromática, antiulcerosa, antifúngica, anticancerígena, antiinflamatória, amebicida, antigripal, antinevrálgica, anti-hemorroidária, antimalárica, anti-séptica tópica, béquica, carminativa, cicatrizante, diaforética, digestiva, diurética, emenagoga, emoliente, estimulante, estimulante respiratória, estomacal, eupéptica, parasiticida, peitoral, purgante, sedativa, sudorífica, tônica, vermífuga (Ascaris e Oxyuris), vulnerária.
    Indicações: Angina, asmas, aumentar a transpiração, bronquite, cãibras, catarro bronquial, cicatrização, circulação, contusões, estômago, fraturas, fortificante dos pulmões, fungos de solo, gripe, hemorragia interna, hemorróidas, infecção pulmonar, insetos caseiros (pulga, piolho, percevejo), insetos como a Scrobipalpula absoluta (traça do tomateiro) e Spodoptera frugiperda (lagarta do cartucho do milho), laringites, má circulação, parasitas do intestino em geral (principalmente ascárides, nemátodas, oxiúros), pé-de-atleta, picadas de insetos, relaxar espasmos, tosse, tuberculose, varizes, vias respiratórias.
    Contra-indicações/cuidados: Em alta dose é extremamente tóxica, podendo causar a morte. É abortiva e contra-indicada para menores de 2 anos. O uso interno deve ser orientado por profissional da área. O óleo essencial da planta pode causar náuseas, vômitos, depressão do sistema nervoso, lesões hepáticas e renais, surdez, transtornos visuais, problemas cardíacos e respiratórios. Pode produzir efeitos tóxicos por acumulação. Tem sido observada uma ação carcinogênica da planta em ratas. Sementes podem induzir tumores no estômago. Induz lesões hepáticas, de ossos e glomerulares de caráter reversível em suínos. O ascaridol pode resultar, em doses elevadas, em cefalalgia, taquicardia, prostração e até a morte, devido a parada respiratória. Pode deixar efeitos colaterais como irritação nos rins, vômitos, convulsões, náuseas e até coma. A dose letal de ascaridol em ratos é de 0,075mg/kg.
    Efeitos colaterais: Em alta dosagem, é venenosa. Pode provocar irritação na pele e mucosas, vômito, vertigem, dor de cabeça, danos nos rins e no fígado, colápso circulatório e eventualmente morte. A ingestão de infusão ou extrato por mulheres grávidas pode provocar aborto.
    Toxicologia: O óleo do Chenopodium é extremamente tóxico e não deve ser usado intemamente em nenhuma dosagem. A dose de 10mg do óleo para adultos é letal; As folhas da planta contêm quantidade bem menor de óleo essencial.
    Posologia: Adultos: 4g de tolhas frescas (1 colher de sopa para cada xícara) em infuso em leite fervente tomado em jejum por 3 dias consecutivos. No quarto dia deve ser usado um laxante suave e todo o tratamento deve ser repetido após 15 dias. por segurança. 2g de folhas frescas (1 colher de sobremesa para cada xícara de água) em infuso 2 vezes ao dia para todas as outras indicações. Emplastro de 129 (3 colheres de sopa) de folhas e sumidades floridas frescas, piladas sobre áreas afetadas por parasitose ou edemas localizados e em articulações, músculos e fraturas, 2 ve­zes ao dia. Crianças: posologia por peso corporal: 1 a 2ml/Kgldla do Intuso ou 1/6 a 1/2 da dose de adultos.
    Superdosagem: Já foram registrados casos de morte após a ingestão de 10mg do óleo. por adultos. O uso do óleo, deve ser evitado. Caso ocorra terapêutica contra vômito, cólicas e diarréIa, (deverão ser instituidos) acompanhamento c1ínicam dieta zero deverão ser instituídos.
    Modo de usar:
    - Extrato fluído, tintura, essência, e xarope, in natura, infusão, decocção, extrato fluido, tintura, xarope etc.
    - Cataplasma : misturar 1 xícara (tipo cafezinho) de vinagre e uma colher (tipo sopa) de sal e amassar as folhas da planta nesta mistura até obter uma papa. Aplicar o cataplasma sobre a afecção e enfaixar: tumor, angina, infecções pulmonares, contusões, tremor da vista, afecções discrósicas do aparelho digestivo, espasmos musculares, palpitações do coração, má circulação do sangue, equimoses, dispepsias, insônia, corrimento vaginal, úlceras, varizes, hemorragia interna, cãibras, ancilostomose e picada de animais peçonhentos, dança-de-são-guido, doenças, traumatismos ósseos, nervosas e indigestões;
    - Infusão: 1 xícara de cafezinho de planta fresca com sementes em 1/2 litro d'água, tomar 1 xícara de chá de 6 em 6 horas (vermífugo, estomáquico); - 20 a 30g da planta verde em 1litro de água; tomar 3 xícaras ao dia; - 10g de folhas em 1 litro de água. Tomar 1 gole de hora em hora. Após, tomar óleo de rícino para facilitar a expulsão dos vermes;
    - Suco: misturar 1 copo da planta picada, com sementes, em 2 copos de leite e bater no liqüidificador. Tomar 1 copo de suco por dia, durante 3 dias seguidos: vermífugo;
    - Sumo: (peitoral) 2 a 4 colheres (sopa) do sumo das folhas para 1 xícara (chá) de leite, 1 vez ao dia. Menores de 2 anos, tomar metade da dose. - Sumo: 1 copo da planta picada com sementes para 2 copos de leite, bater no liquidificador, tomar 1 copo de suco 1 vez ao dia por 3 dias seguidos: fortificante dos pulmões, combate a gripe, vermífugo; - O suco da planta pisada é, em algumas localidade usada como vermífugo, porém o óleo é sempre preferível, já pelo volume mímino a empregar, por sua ação muito mais enérgica.
    - Óleo essencial: diluir 1ml do óleo da planta em 30ml de óleo de castor. Somente crianças acima de 5 anos poderão receber o produto: verminose; - macerado pode ser usado na forma de compressas, abluções e banhos: estomáquica, diurética, vermífuga, sudorífica, angina, infecção pulmonar, cicatrizante e contusão (uso externo);
    - Geléia: pegar 4 bananas nanicas maduras com casca, picar 1 copo de folhas de erva-de-santa-maria com sementes, meio copo de hortelã, 1 copo e meio de açúcar. Triturar bem as plantas em um pilão, pode-se adicionar um pouco de água, em seguida juntar a banana e o açúcar, amassar bem. Levar ao fogo até dar o ponto de geléia, o que ocorre em poucos minutos. Dar 1 colher das de chá duas vezes por dia, pura ou passar na bolacha, pão, etc. (vermífugo);
    - Folhas cozidas com sal, desincha pernas gotosas, afecções da pele, distúrbios renais, cólicas, dores de estômago, tuberculose; - Outros usos: elimina e repele pulgas e percevejos (colocar os ramos debaixo dos colchões e varrer a casa utilizando-os como vassoura).
    Farmacologia: A atividade vermicida do Chenopodium sempre foi atnbu­ída aos óleos essenciais, presentes nas sementes ern grande quantidade. Óleo de alta toxidade, sua dose terapêutica provoca efeitos colaterais. Caiu em desuso. Já as folhas e chás das folhas, banhos e emplastros, sumo, as fumigações continuam a ser usados em todos os sistemas herbalistas tradicionais; A alta concentração de monoterpenos no fruto e semente, sendo o principal deles o ascaridol - isolado no Brasil em 1895 por um faramacêutico alemão, justifica seu uso contra vermes. Há documentação de seus efeitos analgésicos e sedativos e como fungicida; O uso tópico do óleo foi eficaz no trata­mento de Tinha num período entre 7-12 dias num estudo clínico com cobaias. Noutro estudo clínico in vitro foi documentada a atividade contra o Tripanossoma cruzi e efeitos antimaláricos e inseticidas; O infuso e decocto da planta foram pesquisados in vitro para determinar a toxidade­houve anomalias celulares em várias dosagens, confirmando a toxidade; Na década de 70 a OMS reportou que um decocto de 20g das folhas eliminou parasitas rapida­mente, sern efeitos colaterais aparentes em humanos. Em 1996 o extrato das folhas foi dado a 72 crianças e adul­tos com infecção intestinal parasitária. A análise feita 8 dias após o tratamento mostrou eficácia anti parasitária em 56% dos casos - quanto aos tipos de parasitas intestinais a eficácia foi de 100% para Ancilostoma e Trichuris e de 50% para Ascaris; Em 2001,30 crianças entre 3 e 14 anos com nematóides intestinais foram tratadas com Erva de Sta. Maria - as doses foram de 1 ml de extrato/Kg de peso corporal para crianças abaixo de 1 OKg e 2ml para as crianças mais velhas uma vez ao dia com estomago vazio, por 3 dias consecutivos. Exames com fita foram realizados antes e 15 dias após o tratamento. Os ovos de Ascaris desapareceram em 86,7% e o surto parasitário diminuiu em 59,5%. Este estudo também revelou uma eficácia de 100% na eliminação de nematóides comuns humanos (Hymenolepsis nana); Em outra pesquisa a Erva de S. Maria mostrou efeitos tóxicos contra caramujos e linha­gens droga-resistentes de Mycobacilum tuberculosis: Em 2002 foi requenda uma patente nos EE.UU. para uma combinação de ervas chinesas que continha a Erva de 8ta. Maria, para tratamento de úlceras pépticas. Essa combinação foi descrita como inibidora de formação de úlceras induzidas por stress. agentes quimicos e bactérias; Outro estudo com extrato da planta inteira mostrou capacidade de matar células de câncer hepático humano in vitro. Mais um estudo relatou que o óleo essencial (assim como o ascaridol) tem forte atividade antitumoral contra diferentes células cancerosas, inclusive linhagens multidroga-resistentes, in vitro.


    Fonte:  http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/erva-de-santa-maria.html#ixzz321QTD9WL
    http://proporcaodevida.blogspot.com.br/2012/12/tudo-sobre-erva-de-santa-maria.html

    sexta-feira, 2 de maio de 2014

    Manjericão - uma erva mágica!


    O manjericão, cujo nome científico é Ocimum Basilicum, é uma planta herbácea de ciclo perene. Seu aroma é doce e pungente e seu sabor é balsâmico e levemente amargo. Suas folhas são ricas em vitamina A e C, além de terem vitaminas B (1, 2 e 3) e serem uma fonte de minerais (cálcio, fósforo e ferro); são sudoríferas e diuréticas. É um arbusto pequeno, muito ramificado e perfumado. Na sua família existem muitos tipos: o alfavacão, o manjericão de folha larga, o de folha miúda, também chamada de basilicão e o de folhas roxas. Todos eles têm os mesmos princípios ativos. A diferença está no sabor mais ou menos ativo.
    O manjericão tem ação antidepressiva, anti-séptica, anti-espamódica, expectorante, digestiva e tônica, pois atua no sistema nervoso central.
    Na Índia o manjericão é considerado uma planta sagrada que dá proteção espiritual e física. Alguns místicos usam este óleo para purificação, do seu próprio ser e do espaço, quando executam exorcismos.
    Em grego "basilikos" significa "real" e crê-se que este óleo foi usado para ungir reis. Na Índia, acredita-se que contém uma essência divina, sendo por isso consagrado a Krishna e Vishnu.
    Na China é usado para problemas de estômago e rins. Diz uma lenda, que o Manjericão cresceu ao redor do túmulo de Cristo após a sua ressurreição, por isso, ainda hoje é usado nas igrejas ortodoxas gregas, para preparar a água benta.
    Sugestão de banho:
    “Para acalmar e dormir bem a noite faça um chá bem forte com meia xícara (chá) de manjericão seco e 2lt de água, coe e jogue no corpo do pescoço para baixo.”